sexta-feira, 26 de agosto de 2016

wish you the best



Não quero guardar rancor, sabes?
Não posso mentir e dizer que não estou magoada, porque não sei se algum dia esta dor vai desaparecer por completo, mas não quero guardar-te rancor por tudo o que aconteceu. Chama-lhe amadurecimento, ou aquilo que quiseres, mas hoje tenho a certeza de que me quero desprender desta mágoa que te tenho guardado. Talvez não tenhas tido culpa. Talvez nenhum de nós pudesse ter feito nada para evitar este culminar. Talvez tudo tenha começado no dia em que eu te abandonei, no dia em que o teu coração partiu com a minha decisão. Talvez todo este tempo tenha sido um simples adiar daquilo que devia ter acontecido naquele dia. Talvez eu devesse ter virado costas naquele momento, talvez eu devesse ter-te guardado da dor dos dias que se seguiram. Sabes, talvez o erro tenha sido meu. Por te ter deixado chegar perto. Por te ter magoado. E por não ter deixado que seguisses um caminho no qual eu não existia. Não sei. Mas não quero guardar-te rancor, porque enquanto partilhaste esta jornada comigo, eu pude contar contigo. Ainda que agora já não possa, enquanto não seguiste o teu caminho, foste parte de mim. Soubeste de mim mesmo aquilo que a minha boca nunca proferiu, conheceste-me melhor do que por vezes eu me conheço a mim própria e permitiste-me conhecer-te como ninguém. Fomos livro aberto um para o outro, ombro precioso quando tudo o resto falhava e ouvidos prontos quando algo não estava bem. Rimos tanto, mas tanto. Um do outro, da vida, das pequenas coincidências... E nesses momentos senti sempre que eras alguém para a vida. Mas ainda que isso se tenha revelado um engano, enquanto durou, foste alguém da vida, da minha vida. E só tenho a agradecer por isso. Por tudo o que vai ficar quando esta dor desaparecer, pelos momentos em que eu achei que te levaria comigo para o futuro, por teres sido o apoio que eu precisava quando foste e por me teres ensinado a lidar com tanta coisa. Hoje aprendo a lidar com mais uma coisa: com a perda. Com a perda daqueles que amamos - mesmo que não no sentido amoroso -, com o "bater-portas" de pessoas que significam tanto para nós. Também por isso, obrigada. Sinto-me agora mais preparada para enfrentar a vida.
Prometo não te guardar rancor - mesmo que não agora, um dia-. E desejo-te o melhor do mundo, porque a pessoa que eu conhecia decerto o merece. 

4 comentários:

  1. Adorei o texto! Está tão lindo! Parabéns!

    Há giveaway a decorrer no blog! Participa!
    Beijinhos
    http://that-g-i-r-l.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Muito forte. Senti um pouco o quê sentes por empatia. É sempre bom "deitar tudo cá para fora" ;)
    http://amiudasempreaandar.blogspot.pt/2016/09/youtube20160905-as-melhores-recordacoes.html?m=0

    ResponderEliminar
  3. Que texto mais amoroso! Mas só uma coisa: não te tentes culpar...
    Muita força, pequena! E não guardes rancor: é um sentimento demasiado feio para uma pessoa tão bonita quanto tu! (:
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Permite-me a intrusão.
    Lamento o sucedido mas tenho-te a dizer que adorei o texto.
    Daqui a uns tempos vais ver que outra pessoa aparece e te cura de todos os males.
    Quanto ao texto, mais uma vez, adorei *-*

    ResponderEliminar

O livro da tua vida está a ser escrito agora. Aproveita a onda e lembra-te de escrever uma história feliz.